domingo, 25 de outubro de 2009

Bonitos mas Ordinários



  Juro que às vezes me revolto; não que eu seja algum tipo de garota rebelde, ou algo parecido; mas sabe quando você está cansado de ver algo que acontece ao seu redor, e por conseqüências óbvias não aguentar ficar calado? Pois bem, me encontro numa situação dessas.

  Sabe para mim o mundo hoje em dia, está muito alienado em relação a julgar as coisas de uma maneira mais profunda. Ok, vocês já devem estar pensando, que lá venho eu de novo querendo falar dos problemas do mundo; e digo a vocês, eu compreendo muito bem que discutir sobre problemas mundiais já é gasto, e não faz grande diferença ficar repetindo o que todos já sabem.

  Mas a culpa não é minha, se as coisas sobre as quais tenho opiniões pessoais são mais abrangentes, e englobam um grupo de pessoas bem maior do que, por exemplo, “o pessoalzinho do colégio”, as coisas pelas quais gosto de opinar estão relacionadas a costumes de uma sociedade inteira.

  Tenho notado que estou um tanto quanto perceptiva ao comportamento alheio, não que isso me dê o direito de julgar ou condenar, longe de mim tal ato, mas vejo que essa é apenas uma boa oportunidade para expor idéias até então ignoradas.

  É normal do ser humano julgar, e tirar conclusões precipitadas apenas com uma simples troca de olhares, e eu digo com certeza, que na maioria das vezes erramos em nossos julgamentos.

  Estou farta de conhecer pessoas vazias, seres humanos que só se importam com coisas fúteis e que nem ao menos tem princípios morais interessantes, pessoas assim me cansam; aqueles rostinhos bonitos sem conteúdo algum, são os verdadeiros e únicos bonitinhos e ordinários.

  Peço que me perdoem todos os vazios, não tenho a intenção de magoar ninguém, na verdade eu não magoarei ninguém, pois as pessoas com quem me relaciono não são nem um pouco como os citados a cima.


  Não sei bem, mas, do meu ponto de vista vejo que a raça humana está se decepando aos poucos, as pessoas ultimamente só se preocupam com a aparência, com o fútil, com o inútil, não digo que não me importo com a aparência, me importo sim e muito, porém dou mais valor ao que não pode ser visto a olho nu.

  A verdadeira essência de um ser humano, às vezes por mais simples que seja, é grandiosa como nunca se viu. Por isso busco todos os dias, aprofundar-me, tentar ser uma pessoa mais abrangente em meus assuntos, e realmente ter conteúdo.

  É triste saber que isso acontece; que pessoas acham que podem saber de todos os mistérios de um outro ser apenas em um simples olhar, sem nenhuma troca de palavras; isso já é gasto, velho, atrasado. Vejo uma nova era, pelo menos pretendo fazer dessa a minha nova era... Independente de outros; E nela todos apenas se importariam com o melhor, com óbvio, com o útil, o ser humano não seria banalizado como é nos dias de hoje. Uma pessoa seria ela mesma, todos enxergariam as almas uns dos outros, sem restrições, o uso dos olhos não seria necessário, seriamos todos como os cegos, ou seja, não usaríamos os olhos para enxergar, acho que esse é o problema da humanidade, tentamos ver, enxergar demais, coisas inexistente, fazer um julgamento de acordo com o que nossos singelos olhos vêem, deveríamos enxergar com o coração que é ele que nos faz viver, e com ele que devemos ver as pessoas, passaríamos a nos preocupar menos com a aparência, com a “capa”...

Tudo isso me faz lembrar um frase de autor desconhecido:

“A verdadeira beleza não está no rosto, onde todos procuram; mas sim, no coração, onde poucos vêem”.


Beijos até a próxima!

domingo, 18 de outubro de 2009

"E não há tempo que volte amor..."



Hoje, logo ao acordar percebi que um forte cheiro de café fresco se espalhara por toda a minha casa, por um minuto, ou menos, fiquei apreciando aquele agradável cheiro entrando pelas minhas narinas, o que instantaneamente me trouxe lembranças já adormecidas da minha infância, apreciei aquele momento como algo raro em minha vida; apenas minhas lembranças, eu e o suave cheiro de café foram suficientes para me fazer ter um dos meus repentinos “ataques nostálgicos”.

Acho que a coisa mais gostosa do mundo é guardar recordações, felizes ou tristes, legais ou não, mas com certeza as felizes são as mais bem vindas.
Digo que as minhas lembranças são olfativas, guardo os mais variados cheiros na memória, o cheiro daquela comida gostosa, daquela sala perfumada, e até daquele perfume enjoativo, e o mais gostoso é que do meio do nada você corre o risco de senti-los e eles te trazerem as mais distintas lembranças.

Mas viver é isso, são apenas meras lembranças, tudo no final, são apenas lembranças. Não estou tentando trazer à vocês nenhuma visão poética sobre cheiros, nem tampouco filosófica, estou apenas recordando momentos que julgo interessantes, por que recordar é a coisa mais gostosa do mundo...

O que eu mais gosto de fazer é me sentar, e conversar sobre o que passou, sabe, me lembrar dos momentos e rir, às vezes até rir de mim mesma, olhas para trás e dizer: “nossa, como eu estou diferente hoje”, isso é a evidência clara de que o tempo passa, na verdade o tempo voa, e a gente não percebe, não percebemos que estamos apenas vivendo, e nos esquecendo de ter o trabalho de tentar guardar momentos especiais na memória.

Eu ainda estou no colegial, e todos os dias eu tento guardar lembranças, pois sei que mais para frente vou sentir muita falta disso, por isso guardo todas as conversas, todas as risadas, todos os abraços, todas as brincadeiras, todas as broncas, todas as pessoas, e principalmente todos os cheiros, e sempre que sentir cheiro de shopping vou me lembrar da minha sala de aula .. rsrsr



E falando em lembranças, tudo isso me faz lembrar o trecho de uma música do Lulu Santos, Tempos Modernos:

"Hoje o tempo voa, amor
Escorre pelas mãos
Mesmo sem se sentir
Que não há tempo que volte, amor
Vamos viver tudo o que há pra viver
Vamos nos permitir"

Beijos, até a próxima.

sábado, 10 de outubro de 2009

Olá, Prazer ...


 Bem, primeiramente, gostaria de apresentar-me, não por que, serei o centro das atenções nesse blog. na verdade, eu sou quem menos importa aqui. quero apenas poder compartilhar pensamentos e idéias em comum com os que me visitam, bem mas acho que todos nós queremos e devemos saber quem são as pessoas com quem nos relacionamos , então apresentar-me-ei:

Pois bem, lá vai. Meu nome é Nátaly, apesar de achar que este nome não combina muito comigo, e outros dizerem que combina; e tenho apenas 15 anos... bem acho que isso é o bastante, não farei auto-avaliações por que acho, que não adiantaria muito , pois a maneira como nós mesmos nos vemos, é totalmente contrária a maneira que outros nos vêem ,

Me conheçam , e com o decorrer do tempo tirem suas próprias conclusões.

Neste momento minha cabeça está em um turbilhão de idéias . como é difícil saber “o que se escrever no primeiro post” . bem , acho que minha dificuldade está bem clara.

Ainda sou principiante na blogosfera, e sempre tento imaginar, o que escrever para que todos se interessem , pensei em vários assuntos, em discutir questões
Da atualidade, em fazer um diário pessoal, e até mesmo postar coisas interessantes que nos enriquecem intelectualmente, mas pensei melhor, e vi que não me daria prazer algum, e além do mais, sou muito desatualizada .
Pois bem , decidir escrever sobre assuntos que julgo interessantes, não como algum tipo de artigo de opinião, mas sim como idéias e pensamentos soltos por ai, sei lá, mas vamos tentar , quem sabe não encontro pessoas com as mesmas opiniões que eu, afinal dizem que o mundo é tão pequeno. 

Beijos. Até o próximo post!